Citações, Música, Fotografia, Desabafos, Notícias & Opiniões de uma Lusitana em Terras da Germânia

Montag, November 14, 2005

Os Cavaleiros de S. Francis

Para dar a conhecer um pouco da história sobre as cavernas Hell Fire, ter-se-á que falar antes de mais sobre o que foi a Sociedade Hell Fire já que as duas coisas estão indubitávelmente ligadas.
Sobre este assunto muito se poderia contar, a documentação e os testemunhos existentes são vastos e bastante curiosos, contudo penso que tornaria o texto algo longo e provávelmente um pouco maçador para a maioria dos visitantes deste espaço. Para não sair muito do sentido de “passeio” que pretendo dar a este género de textos, optei por contar apenas o essencial sobre estas cavernas, baseando-me mais nas lendas do que própriamente nos factos reais, tentando não quebrar a sua aura enigmática e despertando a curiosidade a uma eventual visita.
A Sociedade Hellfire teve o seu inicio por volta de 1746. Fundada por Sir Francis Dashwood (1708-1781), um aristocrata nascido em Londres mas com raízes em West Wycombe.
Filho único do Barão Le Despencer, sabe-se que foi educado no famoso colégio de Eton em Windsor a escassos kilometros de Wycombe.

Residência oficial da familia Dashwood em Wycombe

Em 1724 à morte do pai e então com 16 anos, herdou o titulo de “barão” pertencente ao progenitor, as propriedades que abrangiam todo o West Wycombe assim como uma vasta fortuna em joias e dinheiro.
Quando terminou os estudos partiu para a que foi a sua primeira de muitas viagens, como era hábito nessa altura entre os filhos de nobres e ingleses abastados.
Iam em busca de conhecimento intelectual, de arte e outros tesouros que o continente tinha para oferecer.
Regressou ao fim de oito meses para tomar conta da sua herança recente.
Em 1729 partiu de novo, rumo a Itália e foi aí que o carácter místico de Francis Dashwood se formou.
Nessa altura Itália era um país que fervilhava sobre o “ocultismo e os mistérios Eleusianos.
Dashwood envolveu-se no movimento da Ordem de Rosa Cruz através de contactos Jacobitas que possuia. Tinha grandes ligações à Maçonaria e a Sociedades Secretas Neo-Templárias. Foi iniciado na Loja Maçonica em Florença.
Quando regressou a Inglaterra, fundou a sua própria Ordem; Ordem dos Cavaleiros de S. Francis vulgo Hellfire Club.
Inicialmente os membros da Sociedade encontravam-se para as suas reuniões na Abadia de Medmenham, propriedade do Dashwood.

Sir Francis Dashwood

Este era conhecido pelo seu comportamento lascivo e pela sua adoração aos Deuses e Deusas pagãs, o que se reflecte nas decorações tanto da Abadia como da sua própria casa.

Interiores da casa de Sir Francis, ainda hoje residência oficial da familia Dashwood
Dizem que as festas realizadas na abadia eram um culto ao Deus Baco e à Deusa Vénus, onde senhoras da alta sociedade se vestiam como a deusa e se ofereciam às mais loucas órgias.
Na biblioteca da abadia foi encontrada a maior colecção de literatura erótica de toda a Inglaterra.
Os membros do Hell Fire eram também conhecidos como; "Os Cavaleiros de S. Francis" ou pela "Ordem dos Monges de S. Francis de Wycombe".
O grupo partilhava o seu amor pela arte e cultura, política, blasfémia e pelo oculto, a par dos seus apetites pelo sexo, álcool e moda.
Por volta de 1750, Francis Dashwood mandou construir a estrada que liga High Wycombe a West Wycombe.
Para isso, mandou homens escavarem nessas cavernas situadas na colina de West Wycombe, já que eram ricas em calcário, necessário à construção da via.

Fotografia: George Knowles - Igreja de St. Lawrence

Foi também quando começou a reconstruir a Igreja de St. Lawrence no topo da colina, sendo o seu interior um cópia fiel do Templo do Sol. A pintura do tecto foi encomendada a Giovanni Borgnis que pintou uma original “Última Ceia” onde o olho de Judas Escariote segue tudo e todos que se deslocam no seu interior.
O globo de ouro é também um simbolo solar e foi copiado da Alfândega de Veneza. Acredita-se que este simbolo era a ligação ao Deus Sol que nasceu no solstício de inverno tendo Cristo como a “Luz do Mundo”.
As cavernas ficam exactamente por baixo da Igreja de St. Lawrence a uma profundidade de mais ou menos 100m.

Fotografia: Micas - Entrada da caverna Out/05

Não era apenas a extracção de calcário que Francis Dashwood pretendia com as escavações, existiam já outros planos para as cavernas...
Comments:

4 Comments:

  • At 8:49 nachm., Blogger mfc said…

    Tem sido impossível comentar no teu blog... diz que é só para administradores do blog!!!!
    Quanto ao post de hoje, já o li de fio a pavio um dia destes. Interesso-me pelo ocultismo sem acreditar nele!

     
  • At 9:12 nachm., Blogger isa xana said…

    venho deixar-te um beijo de bom fim-de-semana*

     
  • At 2:20 vorm., Blogger perola&granito said…

    uma boa semana :)

     
  • At 12:22 vorm., Blogger Manel do Montado said…

    Passei, como sempre, para te desejar um bom fim de semana.
    Beijo

     

Kommentar veröffentlichen

<< Home


referer referrer referers referrers http_referer