Citações, Música, Fotografia, Desabafos, Notícias & Opiniões de uma Lusitana em Terras da Germânia

Dienstag, März 01, 2005

Espera

Deito-me tarde
Espero por uma espécie de silêncio
Que nunca chega cedo
Espero a atenção a concentração da hora tardia
Ardente e nua
É então que os espelhos acendem o seu segundo brilho
É então que se vê o desenho do vazio
É então que se vê subitamente
A nossa própria mão poisada sobre a mesa

É então que se vê o passar do silêncio

Navegação antiquíssima e solene

"Sophia de Mello Breyner Andresen in Geografia"
Comments:

1 Comments:

  • At 2:21 nachm., Anonymous Menina_marota said…

    É sempre um prazer ler Sophia de Mello. Ela conhecia muito bem o significado de cada palavra que escrevia...

    Mas eu estou aqui para dizer-te que linkei-te, não te importas, pois não?
    É que finalmente consegui e até tenho musica... eheheh

    Jinhos ;-)

     

Kommentar veröffentlichen

<< Home


referer referrer referers referrers http_referer