Citações, Música, Fotografia, Desabafos, Notícias & Opiniões de uma Lusitana em Terras da Germânia

Samstag, März 12, 2005

Adaptação/Integração fácil ou não???

Últimamente tenho lido em alguns blogs de Portugueses no estrangeiro, queixas em relação ao povo e ao país que escolheram, por opção ou não para viverem actualmente.
Pois bem, embora reconheça que algumas das queixas até tem fundamento sou obrigada a discordar das pessoas que as fazem. Penso até, que este tipo de avaliações se deva só ao facto de ainda não ter havido tempo suficiente para um verdadeiro conhecimento que permita colocar os prós e os contras no prato da balança.
A maior parte dos defeitos apontados são completamente irrelevantes, considero-os antes como feitios. Entres eles aponto a organização e o cumprimento de horários, coisas que realmente os portugueses não conhecem ou não estão habituados.
Acredito que a adaptação não seja fácil para muitos de nós. Contudo se tentarmos entender e conhecer um pouco melhor o meio, o povo e o país que nos acolhe, ter a mente aberta a mudanças e um pouco mais de flexibilidade, não haverá grandes dificuldades na integração.
Não esquecer que nós somos os principais interessados em ser aceites e respeitados e como tal, isso só poderá acontecer se o sentimento for recíproco.
Sobre o país onde vivo, a Alemanha, existe uma ideia generalizada de que os alemães são um povo frio e racista. Confesso que também eu partilhava um pouco desse conceito.
A partir do momento que os começei a conhecer melhor e a conviver com eles no dia a dia, essa ideia foi completamente desmistificada.
Talvez essa seja a sua “capa” de protecção, uma vez que sentem que todos lhes apontam o dedo. Quem somos nós para culpar um povo ao longo de gerações pelas atrocidades de meia dúzia?? Não podem ser culpados, quando muito responsabilizados.
Nestes quase três anos que por cá ando, só tenho a dizer bem deste país e deste povo.
Claro que há “bestas” mas onde as não há???
Até agora recebi mais da Alemanha do que toda a vida passada no meu próprio país, que não renego, sou Portuguesa. Interesso-me por tudo o que lá se passa, regozijo ou sofro de igual forma conforme o caso.
Tento manter-me o mais informada possível sobre tudo o que se vive em Portugal, mas cada vez encontro mais e mais diferenças.
É certo que sinto saudades. Sinto saudades do mar, da familia dos amigos, porém quando vou de férias e se por azar sou confrontada com certas situações só me lembro que na verdade as diferenças de mentalidade e que por sua vez levam ao bom funcionamento de tudo o resto, são abissais. Por muito que nos custe estamos ainda muito longe, muito longe mesmo, para nos atrevermos a fazer comparações com a maioria dos países da U.E.
E nem sequer é necessário ir de férias a Portugal para nos lembrarmos de como funciona o sistema no nosso país, basta termos a infelicidade de por qualquer motivo ser necessário recorrer à Embaixada ou aos nossos Consulados.
Acreditem que o melhor será fazer uma preparação antes para não se chegar perto de um ataque de nervos... mas isso vai ser uma história que deixo para contar num outro episódio...
Aos Portugueses espalhados por aqui, só lhes posso dizer que tenham calma e tentem conhecer melhor o povo e o país onde se encontram, vão ver que a partir daí, tudo se tornará bem mais fácil...
Comments:

6 Comments:

  • At 5:26 vorm., Anonymous sapacocas said…

    Gostei deste momento de leitura. Deu para reflectir.
    Só conheço Frankfurt, de passagem, e em Berlim estive uns 8 dias. Fui também a Potsdam (não a certeza de escrever-se assim)!Adorei! Fui em trabalho. Se assim não tivesse sido, julgo que ainda hoje não teria ido conhecer, pois não fazia parte da minha lista de viagens "de sonho". Enganei-me! Paris é Paris, mas Berlim tocou-me mais. Que óptimo estás a dar-te bem por aí. Felicidades.

     
  • At 3:20 nachm., Blogger Carlos Barros said…

    Complicado micas todos os dias, ando com isso a bulha agora ficaram sem o consuladoi de osnabruk... e só quem gosta de olhar para o umbigo é que não percebe as diferenças.
    beijo

     
  • At 12:53 vorm., Blogger Å®t_Øf_£övë said…

    Às vezes a adaptação das pessoas torna-se dificil e a partir de determinada altura quase impossivel tais são já as ideias preconcebidas.
    Boa semana.
    Bjs.

     
  • At 2:57 vorm., Blogger FataMorgana said…

    Isso sente-se em ti. Sempre soube que eras Portuguesa e nunca me pareceu que tivesses adoptado a nacionalidade alemã, mas coloquei-te em Além-Bretanha, onde me pareces bem.
    Partilho completamente as tuas impressões a respeito da Alemanha e dos Alemães. É um país que visitei bastantes vezes, pois duas tias minhas casaram-se com Alemães. Uma é muito feliz, há muitos anos (ela não diz quantos, porque é giraça, parece muito mais nova do que é... e não lhe apetece dizer a idade :)))
    A outra morreu nova, passados uns 10 anos de casada. O marido continuou a vir cá a Portugal visitar-nos, como família sua que nos considera.
    Recentemente casou com uma rapariga Espanhola... e agora vêm os dois! Dá para acreditar?! Mas é verdade!
    :)
    Beijos, Micas! Ainda bem que és feliz, porque mereces muito :) **

     
  • At 4:51 nachm., Blogger musalia said…

    Estava a ver que não conseguia aceder aos comentários! :)
    Realidade que desconhecia, essa da personalidade do alemães, defacto sempre os vi como algo frios e com queda para a xenofobia...mas enganei-me. Acredito que sejam como dizes e ainda bem. O perigo é menor, referindo-me a tudo o que aconteceu no passado.
    Nos aspectos que focas, realmente temos muito a aprender ainda...
    beijinhos, Micas.

     
  • At 10:27 vorm., Blogger c(ri)arme said…

    Hoje venho aqui só para te dar um abraço apertado (este não é altruísta é porque preciso).

     

Kommentar veröffentlichen

<< Home


referer referrer referers referrers http_referer